• Argentina
  • Bolívia
  • Brasil
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Equador
  • El Salvador
  • Guatemala
  • Honduras
  • México
  • Nicarágua
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • República Dominicana
  • Uruguai
  • Venezuela
Argentina
Argentina tenta vender mais ao Brasil

O Estado de S.Paulo, 08/05/2012. Por Marina Guimarães

A proposta que o secretário de Comércio Interior da Argentina, Guillermo Moreno, leva para o Brasil nesta terça-feira inverte a lógica da negociação bilateral: antes de concordar com a liberação das mercadorias brasileiras barradas na fronteira desde o início do ano, ele quer o compromisso dos empresários de que vão comprar mais bens argentinos. A missão comercial liderada pelo secretário conta com 580 empresários da Confederação Geral Empresarial, que reúne pequenas e médias empresas. O presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, será o anfitrião.

A rodada de negociação foi proposta por Skaf, durante visita a Buenos Aires, em fevereiro, quando tentou negociar com o governo argentino a abertura do mercado do sócio para os produtos brasileiros, barrados por novas restrições impostas por Moreno. A visita de Skaf provocou atrito com o presidente da União Industrial Argentina (UIA), Ignacio de Mendiguren, que não foi incluído nas conversas. "É uma tolice querer negociar na Argentina sem conversar com a UIA", disse à Agência Estado uma alta fonte da organização.

Recentemente, Mendiguren foi à Brasília sem convidar Skaf para as conversas que teve com o governo brasileiro. O resultado desse atrito poderá ser observado na missão de hoje em São Paulo, que não conta com a presença da UIA. Os empresários convocados são de setores variados: alimentos e bebida, cosméticos, limpeza, confecções, calçados, máquinas agrícolas, eletrodomésticos e software. Cada nota de pedido do Brasil por produto argentino será contada como ponto para que Moreno libere a entrada de mercadorias brasileiras.

O objetivo do secretário é aumentar as exportações da Argentina para o Brasil e reduzir o déficit estrutural que possui com o principal sócio do Mercosul. No último ano, Moreno deixou de ser somente o xerife dos preços para ocupar a posição de super-secretário. "Esta missão se constitui na maior comitiva empresarial recebida pelo Brasil e se trata de uma das missões comerciais de maior magnitude que a Argentina estimulou", afirmou uma nota do Ministério de Relações Exteriores.

Moreno estará acompanhado por Beatriz Paglieri, a secretária de Comércio Exterior que, em tese, seria a pessoa encarregada das negociações. Porém, Paglieri é somente o braço direito de Moreno e não negocia. A secretária de Relações Econômicas Internacionais da Chancelaria, Cecilia Nahón, também acompanha a comitiva.

 
últimas notícias da categoria:
 
Mais notícias desta categoria:
 
Veja todas as notícias:
 
Envie esta notícia

 Voltar
  • banner_america_latina

© Copyright 2007 / 2007 - Todos os Direitos Reservados