• Argentina
  • Bolívia
  • Brasil
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Equador
  • El Salvador
  • Guatemala
  • Honduras
  • México
  • Nicarágua
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • República Dominicana
  • Uruguai
  • Venezuela
Água
Mercosul fará raio-x do aqüífero Guarani

PNUD Brasil http://www.pnud.org.br/meio_ambiente/reportagens/index.php?id01=2683&lay=mam
Brasília, 17/05/2007
Mercosul fará raio-x do aqüífero Guarani
Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai estão desenvolvendo estudos para avaliar a situação da reserva de água e planejar ações conjuntas
TALITA BEDINELLI
da Prima Pagina
Os quatro membros fundadores do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) vão elaborar um plano de uso sustentável do aqüífero Guarani — uma das maiores reservas subterrâneas de água doce do mundo. Os países já encomendaram uma série de estudos que deve ficar pronta até setembro do ano que vem e que vai abordar questões relativas ao solo, aos mananciais e aos poços perfurados para o consumo da água. O planejamento deve ser colocado em prática a partir de janeiro de 2009.
O aqüífero Guarani tem um volume estimado de 37 mil quilômetros cúbicos e uma área de 1,2 milhão de quilômetros quadrados, que abrange a bacia do rio Paraná e parte da bacia do Chaco-Paraná. Cerca de 70% da reserva está localizada no Brasil e corta Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Existem 930 poços brasileiros perfurados no Aqüífero, que são usados por 68 municípios. Os paulistas consomem quase 60% da produção.
“O aqüífero tem um volume de água acumulado ao longo de milhares de anos e tem várias possibilidades de uso: humano, agrícola, turístico. Tem que saber cuidar, porque despoluí-lo tem um custo muito mais elevado do que para um rio, já que é escondido. No geral, ele está bem conservado, mas existem alguns riscos de contaminação”, diz o secretario de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, João Bosco Senra. “Precisamos conhecer a real dimensão do aqüífero e sua importância, para orientar o trabalho de preservação e o uso de maneira sustentável”, completa.
Por isso, foi criado o projeto Aqüífero Guarani , que começou a ser executado em 2003 pelos quatro países com o apoio do GEF (Fundo Global para o Meio Ambiente, na sigla em inglês) — órgão administrado pelo PNUD, Banco Mundial e PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente). Para subsidiar os trabalhos, foram contratadas três empresas, que ficaram responsáveis por dois estudos e pelo desenvolvimento de um portal com as informações coletadas, que poderão ser acessadas pelo público.
Um dos estudos analisa as características gerais da reserva subterrânea. “A partir desse mapa, teremos acesso ao que está acontecendo no Aqüífero como um todo, para possibilitar projetos de conservação futuros”, comenta Senra. O outro levantamento abordará quatro áreas específicas, uma de cada país. Para o Brasil, foi escolhida a cidade de Ribeirão Preto, abastecida integralmente pelo aqüífero. “A região tem um uso mais urbano. Na Argentina foi selecionada uma área de uso termal, no Paraguai, uma de uso rural e no Uruguai, uma região transfronteiriça com o Brasil. Vamos conhecer essas realidades mais específicas, desenvolver projetos para elas e depois amplia-los para outras áreas”, diz o secretário

 
últimas notícias da categoria:
 
Mais notícias desta categoria:
 
Veja todas as notícias:
 
Envie esta notícia

 Voltar
  • banner_america_latina

© Copyright 2007 / 2007 - Todos os Direitos Reservados