• Argentina
  • Bolívia
  • Brasil
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Equador
  • El Salvador
  • Guatemala
  • Honduras
  • México
  • Nicarágua
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • República Dominicana
  • Uruguai
  • Venezuela
Paraguai
Após tratamento em São Paulo, Lugo deve retornar ao Paraguai na quarta-feira

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, deve deixar a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo --onde esteve internado nos dois últimos dias-- e regressar na quarta-feira ao Paraguai após ter apresentado uma melhora em seu quadro de saúde, disse um de seus médicos a uma rádio paraguaia.

Lugo foi internado no sábado (2) em caráter emergencial no hospital de São Paulo, onde os médicos diagnosticaram uma trombose na veia cava superior, o que inicialmente provocou o temor de uma infecção de alto risco para sua vida.

"O presidente Lugo acaba de passar por um exame de controle que mostrou a dissolução completa dos trombos na veia cava superior", disse o hematologista Alfredo Boccia, membro paraguaio da equipe de médicos que trata o câncer linfático do presidente-- à rádio paraguaia Primero de Marzo.

"Ele vai deixar a unidade de terapia intensiva onde esteve até agora e passará para um quarto comum. Sua alta está prevista para quarta-feira e seu retorno será nesse mesmo dia, quarta-feira à tarde", acrescentou.

O presidente, de 59 anos, teve diagnosticado há dois meses um câncer linfático em estado clínico avançado e passou por três sessões de quimioterapia como parte do tratamento contra a doença.

RISCO DE MORTE

A vida do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, esteve em perigo antes da viagem de emergência que fez no último sábado (2) para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, admitiu nesta segunda-feira a sobrinha do presidente.

"O rosto dele estava todo vermelho e inchado. Não saía uma palavra. Não conseguia falar", contou à imprensa Mirtha Maidana Lugo.

Ela admitiu que os principais auxiliares políticos de Lugo tentaram obrigar a família a ocultar o estado de saúde do presidente "para dissimular que tudo estava bem".

Os inchaços do rosto e do pescoço, assim como a vermelhidão do rosto, foram provocados por uma obstrução do cateter aberto que foi implantado no peito do presidente, na altura do coração, informou o médico de Lugo, Alfredo Boccia, ao jornal "ABC".

"A vida do chefe de Estado esteve em perigo porque ela poderia sofrer uma hemorragia interna com a obstrução do cateter", explicou.

O cateter é usado nas sessões de quimioterapia a que Lugo é submetido desde agosto para combater um câncer linfático.

O oncologista brasileiro Frederico Costa, que chegou no sábado a Assunção para examinar o presidente paraguaio, ordenou a transferência imediata para o Hospital Sírio-Libanês de São Paulo.

O médico temia que uma eventual hemorragia interna provocasse a morte de Lugo, segundo Mirtha. "A saúde dele estava em jogo quando saiu daqui", completou.


Fonte: Folha de S.Paulo/UOL, 04/10/2010. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/809432-apos-tratamento-em-sao-paulo-lugo-deve-retornar-ao-paraguai-na-quarta-feira.shtml.

 
últimas notícias da categoria:
 
Mais notícias desta categoria:
 
Veja todas as notícias:
 
Envie esta notícia

 Voltar
  • banner_america_latina

© Copyright 2007 / 2007 - Todos os Direitos Reservados